Qual a diferença entre bomba periférica e a bomba autoaspirante? Alguns acham que esses equipamentos têm a mesma função, mas verá ao longo do texto que existem características que os diferenciam. Para entender, siga conosco até o final.
Quando construímos uma casa pensar no abastecimento e distribuição da água é fundamental. É preciso construir ou comprar reservatórios, definir o melhor local para posicioná-los, considerar questões como vazão e pressão, etc. Claro que em muitos projetos, a experiência do empreiteiro que vai fazer a obra já ajuda bastante nesses aspectos.
E em muitas situações você precisará contar com itens para que processo funcione bem em sua nova residência. As bombas d’água são as mais comuns. Elas servirão para encher os reservatórios, limpá-los e até mesmo deixar a pressão da água mais forte. E dois modelos que são bastante usados para esses fins são a bomba periférica e a bomba autoaspirante.
Vamos apresentar as definições de cada uma dessas, mostrar dicas de como aproveitá-las e recomendar os modelos mais eficientes do mercado.

O que é bomba periférica?

É uma motobomba que serve para transferir água limpa, ou seja, ela bombeia água de um reservatório natural para uma caixa d’água, por exemplo. É o tipo de bomba de água com maior eficácia para transportar água verticalmente.
Em muitos projetos de residências se faz uma cisterna com maior volume d’água na parte de baixo, e na parte superior se coloca uma caixa d’água que irá atender o consumo diário. Nesses casos, usar a bomba periférica é a solução adequada.
Dentre suas vantagens podemos destacar:

  • Não permite que o ar fique na tubulação. Aquelas bolhas de ar que surgem quando a água está acabando, não acontece usando esse tipo de motobomba.
  • Tem excelente desempenho manométrico. Das bombas usadas para abastecimento de água, a bomba periférica tem mais capacidade de pressão de fluídos.
  • Boa parte de seus modelos têm baixo nível de ruído.
  • É uma das mais acessíveis do mercado.

Mas, e em relação a bomba autoaspirante qual é a diferença? Vejamos a seguir.

O que é bomba autoaspirante?

É uma motobomba que também serve para transportar líquidos, mas ao contrário da bomba periférica, a bomba autoaspirante consegue sugar partículas sólidas também. Então, ela é a mais adequada para puxar água de um rio ou açude, e encher uma cisterna em outro ponto.
Dotada de válvula de retenção a bomba autoaspirante consegue sugar a água, e impede que ela retorne pela tubulação. Isso é possível porque essa motobomba tem um pequeno reservatório, que se enche d’água para começar o bombeamento.
Quando falamos de benefícios da bomba autoaspirante, podemos citar os seguintes:

  • Um dos melhores modelos para se usar em áreas de baixa pressão.
  • Também serve para bombear produtos químicos.
  • Tem ótimo desempenho para bombear altos volumes de água.
  • Vem com válvula retenção já de fábrica.

Agora vamos conhecer onde comumente são usadas as bombas periféricas e autoaspirantes.

Principais aplicações da bomba periférica

Esse modelo de motobomba pode ser usado nas seguintes atividades:

  • Abastecimento de residências, condomínios, indústrias e outros estabelecimentos.
  • Em pequenos sistemas de irrigação.
  • Para puxar água de reservatórios naturais, e transpor desníveis de terreno acentuados (sua capacidade para verticalizar água).
  • Em serviços de jardinagem e paisagismo.
  • Em irrigações complexas como a fertirrigação e hidroponia.
  • Para encher reservatórios de pisciculturas.
  • Pode ser acoplada a sistemas de refrigeração industrial.

É preciso verificar algumas capacidades da bomba, tais como potência, altura máxima e vazão máxima. Há depender dessas referências, a bomba periférica pode ou não realizar os serviços listados.

Principais aplicações da bomba autoaspirante

Diferentes segmentos escolhem a motobomba autoaspirante, mas será mais comum utilizar este equipamento em tarefas como:

  • No abastecimento d’água de diferentes edificações.
  • Em irrigação de áreas litorâneas, que normalmente são redes de baixa pressão.
  • Para encher e ou drenar águas de piscinas.
  • Para transferir água de poços artesianos para caixa d’água.
  • Pode ser usada em sistema de drenagem ou esgotamento de pequenas partículas sólidas.
  • Muito usada na pecuária para esgotar estábulos, por exemplo.
  • Em grandes sistemas de irrigação.
  • Em salinas, esse modelo de bomba é usado no processo de dessalinização.
  • A bomba autoescorvante também é utilizada nos sistemas de combate a incêndio.

De novo lembramos, que nem todos os formatos dessa motobomba farão todos esses serviços. É importante verificar as especificações técnicas no momento da aquisição do produto.

Principais marcas de bombas

Esses 2 modelos de bombas são muito vendidos. Além da versatilidade, são máquinas com excelente custo-benefício. Conheça as fabricantes que são referência na produção da bomba periférica e da bomba autoaspirante:

  • Schneider (autoaspirante)
  • Dancor (autoaspirante)
  • Bombas Eletroplas (autoaspirante e periférica)
  • Bombas Ferrari (autoaspirante e periférica)
  • KSB (periférica)
  • Grundfos (autoaspirante e periférica)
  • Bomba Thebe (autoaspirante)

São bombas fabricadas em todas as voltagens e em várias potências, o que facilita o uso em várias aplicações e regiões brasileiras.

Recomendações para o uso dessas bombas

O recado principal para aproveitar todos os recursos da bomba periférica e da bomba autoaspirante é seguir todas as orientações do manual de instrução. É essencial que faça como o fabricante pede no guia, e tenha toda atenção nas instalações elétricas e hidráulicas.

Veja  neste artigo dicas de instalação de uma motobomba.

A ideia é que seu equipamento trabalhe dentro do esperado, tenha um ótimo desempenho no consumo de energia e dure por muitos anos.
Agora que aprendeu a resposta para pergunta “Qual a diferença entre bomba periférica e a bomba autoaspirante?“, é só procurar o modelo que vai servir na sua casa ou propriedade no site da Mérito Comercial. Até a próxima.

Share:
Loading comments...